Novembro - 9 - Sexta

Não cessamos de orar por vós, e de pedir que sejais cheios do conhecimento da sua vontade, em toda a sabedoria e inteligência espiritual; para que possais andar dignamente diante do Senhor, agradando-lhe em tudo.
Pois que muito desejamos também ser-lhe agradáveis

(Colossenses 1:9-10; 2 Coríntios 5:9)

AGRADAR AO SENHOR

Essa é a grande motivação que deve determinar as ações do crente. As tarefas cotidianas, geralmente pesadas e repetitivas para muitos de nós, não são um obstáculo para o desenvolvimento espiritual. Pelo contrário, mesmo no meio dessas tarefas podemos servir ao Senhor se as realizarmos honestamente e com boa consciência de que fazemos tudo para Ele. 
Se nosso chefe ou superior é severo, exigente e injusto, oremos primeiro para que Deus nos dê a capacidade de suportá-lo e, além disso, de considerá-lo como alguém em quem Deus está interessado. Desempenhemos nosso trabalho serenamente, “como para o Senhor”, que é nosso verdadeiro Mestre. Mostremos que o filho de Deus não apenas obedece a Palavra de Deus, mas tem prazer em fazê-lo.
Esse é o comportamento que o crente deve ter a cada dia. Assim, poderá ser uma testemunha de seu Senhor. “E, quanto fizerdes por palavras ou por obras, fazei tudo em nome do Senhor Jesus” (Colossenses 3:17). 
E se enfrentamos contratempos ou temores, leiamos Filipenses 4:6-7: “Não estejais inquietos por coisa alguma; antes as vossas petições sejam em tudo conhecidas diante de Deus pela oração e súplica, com ação de graças. E a paz de Deus, que excede todo o entendimento, guardará os vossos corações e os vossos pensamentos em Cristo Jesus”.